Curiosidades

Foo Fighters: novo EP Saint Cecilia e o fim da banda? Ouça e leia!

23 nov , 2015  


Será mesmo que a banda vai acabar? E dá pra baixar o disco de graça? Sim, é grátis!

Por Matheus Gonçalves

Escrevo este post ao som da faixa Saint Cecilia, a faixa do EP que leva o mesmo nome, que tá no player em loop infinito.

E me sinto um tanto quanto saudosista por todas as sensações que senti com Foo Fighters desde o lançamento do documentário Sound City, o lançamento do disco Sonic Highways e sua turnê pelos Estados Unidos.

Do ponto de vista de fã, já assisti a não sei quantos shows dos caras, em não sei quantos países diferentes. Acompanho Foo Fighters desde muitos anos atrás. Desde quando meu pai sequer sabia que eu, ainda criança, gostava tanto de uma banda. E ao ouvir essas músicas, me sinto indo para casa junto com eles.
 

 
Fotos deste show disponíveis neste link. Mas vamos por partes.
 
Sobre o Dave e sua banda

Aqui nos Estados Unidos alguns cunham Dave Grohl como um cara “cheesy”, que pode ser traduzido como não-autêntico, ou barato, no sentido de ruim, por ele fazer um rock popular e simples. Eu, evidentemente, discordo deste ponto de vista.

Ele foi baterista de uma das bandas que mudaram a história da música e de todos que gostam de música, gostando desta banda ou não. Ele é um cara que nasceu na cena punk de Washington DC, que veio de uma família não muito normal, mas também não problemática ao extremo.

 
tumblr_mv2ve5axY01rjhvs8o1_500
 

Toca bateria feito um $#@%#$%, toca guitarra de forma suja, canta sobre assuntos que lhe importam e grita feito um garoto apaixonado pelo que faz. Vira e mexe ele se junta com outros nomes espetaculares da música, pra fazer música, for fun.

E faz isso sem se achar o cara mais foda do universo, sem ser babaca.

Eu não tenho como não gostar desse cara. Nem se eu fizesse muita força. Isso sem contar Taylor Hawkins, Pat Smear (que também já tocou no Nirvana, além de Germs), o Chris Shiflett e Nate Mendel.

Bizarro perceber que uma banda que mudou tanto de formação ao longo dos anos fechou um elenco tão entrosado em suas diferenças. Foo Fighters é uma banda aperfeiçoada na base da tentativa e erro.
 
Saint Cecilia e a volta pra casa

Antes de mais nada, dá o play nessa #$#@$, que tá bom demais, e continue lendo comigo:

 

 

Não gosta do YouTube? Dá pra ouvir de graça pelo Spotify, ou Apple Music, ou mesmo baixar em MP3, WAV e FLAC, assim você pode fazer o upload para sua conta do Google Play Music.

A primeira música abre com a seguinte frase: não há mais segredos. Afinal, são anos e anos compartilhando tudo. Tipo, tudo, do momento que você acorda, passando por enfrentar e entreter multidões de fãs apaixonados, todos os perrengues da estrada, do aeroporto, até voltar a se encontrar em algum hotel.

E como Dave Grohl diz em sua carta publicada aqui, nada mais emblemático que gravar o ponto final de mais esta jornada em um hotel. O que, a princípio, parecia uma ideia maluca, mas que não poderia ter sido mais acertada.
 
FIM? Como assim, Toad? Foo Fighters vai acabar? MIAJUDA!

Vai, a banda anunciou oficialmente seu fim e… ahhahahahahahaah não, calma! Não vai. Vi alguns veículos (alguns que eu adoro, inclusive) interpretando a carta de Dave como uma despedida completa, ou ao menos afirmando que a banda vai entrar num hiato indeterminado.

Eu não vejo desta forma. Lendo as palavras dele, acredito que foi na verdade uma forma de agradecer aos fãs por tudo que fizemos por eles, contar um pouco da loucura que foram estes dois últimos anos, avisar que enfim eles estão voltando pra casa, explicar o processo de gravação do EP, mas principalmente deixar claro que novos passos virão.

Um lembrete de que tudo que é bom deve chegar a um fim. Claro… poderíamos continuar. Afinal, nós chegamos até aqui, certo? O que são mais 20 anos?

Seguido de:

Para todos e cada um de vocês que fizeram dos últimos anos os melhores que nossa banda já teve, obrigado. Vocês todos nos deram demais, e somos eternamente gratos. De verdade.

Um passo de cada vez…

 

Não será um fim, tampouco um período de tempo enorme sem produzir nada. Vocês já viram o Dave ficar parado? Esse desgraçado é uma máquina de fazer música, que usa suor e café como combustível. Trata-se apenas de uma pausa, mais que merecida, que toda banda faz em fim de turnê.

Fiquem tranquilos que logo mais Foo Fighters volta com mais um disco e mais um projeto e mais uma turnê.

Pra fechar, fiquem com 42 (claro!) fotos dos bastidores das gravações do EP Saint Cecilia.
 

 


, , , , , , , , , , , , , , , ,


  • Jonathan Zanella

    Na biografia (não oficial) do Dave Grohl ele fala de como os projetos paralelos que todos os membros da banda tem ajudam a eles dispersarem e voltarem depois empolgados para fazer mais um álbum do FF.

    Na minha opinião é por isso que mesmo depois de tanto tempo na estrada, cada álbum da banda é sempre excelente. Pra mim o Wasting Light é o melhor álbum do FF, o Sonic Highways tem faixas incríveis.

    Btw, você poderia ter evitado um mini ataque do coração desde que escreve se tivesse colocado no título “relaxa que o FF não vai acabar”, haha

    • O Wasting Light é espetacular do começo ao fim. O Sonic Highways é muito bom, se acompanhado do documentário. Sem o documentário é um disco ok.

      Eu colocaria, mas aí qual seria a graça?

Send this to friend